quinta-feira, 26 de março de 2015

Zé Bonitinho: fim de uma carreira de humor simples e contagiante...

Link permanente da imagem incorporada

Link permanente da imagem incorporada

Link permanente da imagem incorporada

Link permanente da imagem incorporada

View this content on UOL's website

Link permanente da imagem incorporada

Link permanente da imagem incorporada

Homenagem ao humorista Jorge Loredo o Zé Bonitinho... 

Link permanente da imagem incorporada

Belo = oleB

 BELO
OLEB



http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/d/d5/David_von_Michelangelo.jpg







http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/f/f3/Klee%2C_Angelus_novus.png




Será o Belo o harmônico?
O majestoso?
O grandioso?
O sincrônico?

O que é a beleza?
A natureza do Belo?
Esse irradiar entusiasmado...
Arrogante, néscio vibrante!

Quem inventou o Belo foi bom? Foi bondoso?
Como?
Se, para inventar o Belo?
Inventou, também, o feioso!

Belo, Belo, Belo...
Tu és gerado no olhar!
No olhar de quem pensa que vê!
Pois estás, ó Belo...

Na cabeça, colocado, ensinado, condicionado...
Para saber!
Ou, pensar que sabe...
Que você Belo existe e é dono de todo o aparecer!

Então:
O que é o Belo?
Bem, o Belo pode ser:
Fútil, inútil, soberbo...

Arrogantemente construído!
Para ser consumido...
Ser tragado vendido!
Para todos fingir que o Belo é!

É!
É?
Ou:

Belo tem que ser!

terça-feira, 24 de março de 2015

TRABALHO... MENTE...

O TRABALHO DA MENTE!


 Resultado de imagem para FÓRMULA DE ALBERT EINSTEIN



Labuta! Labuta!
O Tudo! O Espaço e o Tempo! O mais diminuto elemento!
O Ser e o Querer! O Sol e a Lua...
A Natureza e todo acontecimento...

Labuta! Labuta!
A Santa! A Prostituta! A Igreja e a Heresia! A fome e a azeda azia!
A Rua! O Rio! A velha! À vela e o seu pavio...
O Oceano! A Tempestade e o Navio...

Labuta! Labuta!
Enchente de Gente...
Homem e Mulher: História!
União da semente! Cuidado: serpente!

Labuta! Labuta!
Pensamento...
Visão do mundo: profundo...
Aprendiz nascendo! Sofrendo ao vento!

Labuta! Labuta!
Ó Morte! Ó Vida! Severa! Bate Coração!
Cresça... Crença... Criança... Criação!
Amor e contravenção?

Labuta! Labuta!
Mas, quem deve tanto labutar?
Tu ó Mente!
Teu labutar é pensar!

Labuta! Labuta...
Até, um dia, que não conheces: morrer ou adoecer te fará parar de...
Labutar...


E, tudo que labutou, para os que vierem, ajudará eles no contínuo Labutar...